Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Investimentos

Dragagem do Porto do Rio é concluída

:: :
  • Publicado: Sábado, 25 de Novembro de 2017, 10h00
  • Última atualização em Quarta, 20 de Dezembro de 2017, 15h49

Investimento de R$ 237 milhões vai permitir o acesso de navios maiores, ampliará em 50% a capacidade do porto e proporcionará mais segurança e trafegabilidade à navegação 

Após 14 meses, entre elaboração do projeto e obra, a dragagem por resultado para a ampliação ao acesso do complexo portuário do Rio de Janeiro foi concluída. Ao todo, foram investidos R$ 237 milhões para a execução da obra, assessoria à fiscalização e monitoramento ambiental. Com a conclusão, o porto poderá receber navios maiores e terá aumentada em 50% a sua capacidade instalada. Os navios poderão movimentar até 900 contêineres a mais, cada.

Neste sábado (25/11), os ministros dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, estiveram presente na Companhia Docas do Rio de Janeiro (CDRJ) para participar da solenidade de entrega da obra.

Para o ministro dos Transportes, a conclusão dessa obra vai aumentar a capacidade operacional dos navios e atender os requisitos logísticos globais. Além disso, vai assegurar a melhoria da infraestrutura que trará reflexo positivo para a nossa balança comercial do Brasil, geração de empregos e desenvolvimento para o Rio de Janeiro. "Quando assumimos, nenhuma dragagem estava em andamento, mas esse governo se comprometeu para atender a demanda do setor", enfatizou Quintella.

O trabalho consistiu em aprofundar para 15 metros o canal de acesso e da bacia de evolução. Já na parte do cais norte e oeste, do Arsenal de Marinha, foram 11 e 12 metros, respectivamente. Na Escola Naval, a dragagem foi entre 7,0 e 8,5 metros. Também houve o alargamento, entre 168 e 300 metros, do canal de acesso ao Porto. Foram dragados mais de 2,9 milhões de metros cúbicos de sedimentos. O Consórcio Van Oord/Boskalis foi responsável pela execução e conclusão dos trabalhos.

A obra vai proporcionar que o Porto do Rio de Janeiro aumente a sua segurança e trafegabilidade para a navegação. E ainda um ganho de capacidade na recepção de navios tipo Super Post Panamax, embarcações de porta-contêineres de 8000 TEUs e navios graneleiros de grande porte.

Além disso, uma cava subaquática para lançamento de cabos foi construída (canal de 18 metros e demais áreas de 1,5 metros, sob o leito marinho). A obra ainda contou com o fornecimento e instalação de novos cabos submarinos de energia elétrica, incluindo a instalação do sistema de geração de energia elétrica e nova adutora de água potável, para o atendimento ao Centro de Instrução Almirante Wandenkolk (CIAW).

Em agosto, a Capitania dos Portos autorizou, em fase experimental, o início das manobras no Porto do Rio. A Marinha também fez a homologação de todo o processo, que consiste em nova configuração do canal de acesso, incluindo o calado ampliado e o novo balizamento.

MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS – O Porto do Rio de Janeiro possui uma estrutura de 7,8 quilômetros de cais, contando com terminais arrendados, com operações de contêineres, veículos, graneis sólidos e líquidos e passageiros. Conta ainda com aéreas arrendadas. As principais cargas movimentadas no Porto são: produtos siderúrgicos, contêineres, granéis e produtos ligados a mercadorias offshore (tubos e materiais de apoio às plataformas de petróleo e gás).

Ele o segundo maior do Brasil em movimentação de cargas com valor agregado (US$ 1,77 por tonelada). Em 2016 a movimentação de cargas foi de 6,1 milhões de toneladas. Neste ano, entre janeiro e outubro, já foram aproximadamente 4,5 milhões toneladas, 1% a mais na comparação com o mesmo período de 2016.

Foto: Wanderson Abreu

Assessoria de Comunicação
Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil

registrado em:

Notícias Relacionadas


Fim do conteúdo da página