Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
DESBUROCRATIZAÇÃO

Ministério da Infraestrutura transfere 65 mil servidores inativos e pensionistas para Economia

  • Publicado: Quarta, 28 de Agosto de 2019, 20h06
  • Última atualização em Terça, 15 de Outubro de 2019, 15h28

Mudança segue orientação do presidente Jair Bolsonaro e, segundo os cálculos do governo federal, a economia será de, aproximadamente, R$ 10 milhões por ano.

WhatsApp Image 2019 08 28 at 17.12.50

O secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio, e o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governança Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel, assinaram, nesta quarta-feira (28/08), um acordo de cooperação técnica que transfere 65 mil servidores inativos do MInfra ao Departamento de Centralização de Serviços de Inativos e Pensionistas (DECIP). Segundo os cálculos do governo federal, a economia será de, aproximadamente, R$ 10 milhões por ano.

A intenção do Governo Federal é centralizar o atendimento e a prestação de serviços a estes servidores em um único órgão. Não há alteração de direitos, remuneração e benefícios. Os dados serão transferidos em etapas e haverá migração de acervos digitais e físicos para o Departamento de Centralização de Serviços de Inativos e Pensionistas (DECIP).

“A transferência desses 65 mil servidores inativos vai trazer uma melhor prestação de serviço para esses pensionistas e aposentados, ao mesmo tempo em que deixa o Ministério da Infraestrutura mais leve e com mais capacidade de entrega em sua atividade-fim, que é prover a infraestrutura para o Brasil”, explicou Marcelo Sampaio.

Paulo Uebel reforçou que o objetivo do departamento é alcançar cerca de 23% do quantitativo total de inativos e pensionistas dos órgãos da Administração Pública Federal Direta (APF). “Essa centralização deverá ocorrer até fevereiro de 2022, alcançando cerca de 450 mil vidas”, destacou.

COMO FICA

Quando a transferência de serviços estiver concluída, os órgãos da administração pública continuarão responsáveis por receber os requerimentos de aposentadoria e pensão por morte de servidores ativos e também responsáveis por fazer a atualização cadastral de seus ativos, inativos e pensionistas.

 

Fotos: Alberto Ruy/AESCOM

Assessoria Especial de Comunicação 

Ministério da Infraestrutura ​

registrado em:
Fim do conteúdo da página