Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Bacia Amazônica Ocidental

Publicado: Quarta, 12 de Novembro de 2014, 17h12 | Última atualização em Quarta, 07 de Janeiro de 2015, 15h38

Mapa da Bacia Amazônica Ocidental

img1291638033

Características

Área aproximada em km²: 2.400.000

Estados Abrangidos: Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima.

Principais Rios: Amazonas, Solimões, Juruá, Tefé, Purus, Madeira, Negro, Branco.

Rios Considerados: Na parte ocidental da Bacia Amazônica foram considerados os rios Solimões 
(trecho Coari / Manaus) e Madeira.

Características Gerais do Transporte na Bacia: O transporte hidroviário na Bacia Amazônica, devido à extensa área abrangida por seu sistema fluvial, apresenta-se sobre os mais diversos aspectos, desde o de subsistência, com o transporte de pequenas cargas e passageiros, até o de maior vulto, isto é, de cabotagem ou de longo curso, onde são utilizadas grandes embarcações e portos classificados como marítimos, como Vila do Conde e Manaus, transporte esse não incluído no presente relatório.

O transporte abrangido pelo presente relatório caracteriza-se como o mais utilizado, tanto pela inexistência de rede rodoviária como pela extensão continental da Bacia Amazônica.

No tocante ao transporte de cargas, que constitui o principal objeto deste relatório, pode-se distinguir, primeiramente, o de pequenas cargas em grandes quantidades, que atende às necessidades das populações ribeirinhas, além daquele que é feito de forma unitizada em carretas e contêineres pelo sistema conhecido como ro-ro caboclo.

Já no transporte de granéis líquidos, destaca-se o de derivados de petróleo, que igualmente supre a população ribeirinha no abastecimento de usinas termelétricas.

Quanto aos granéis sólidos, vem sendo objeto de incremento, em especial o transporte de grãos, como o realizado no rio Madeira pela Hermasa, que transporta grãos da Chapada dos Parecis (MT), utilizando o rio Madeira para o escoamento dessa carga entre Porto Velho (RO) e Itacoatiara (AM), de onde é exportado em navios de longo curso.

 

Hidrovia do Madeira

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

Extensão navegável: 1.060 km 

Largura média: 1.000 m 

Declividade média: 1,7 cm/km

REGIME HIDROLÓGICO

Período de águas baixas: Julho/Outubro 

Período de águas altas: Fevereiro/Maio 

Declividade média: 1,7 cm/km 

Gabarito proposto pelo PNVNI / 89 : II

NAVEGABILIDADE

Sistema de sinalização / balizamento: Placas de sinalização de margem e bóias cegas modelo Paraná. 

Restrições à navegação: Não existem. Apenas em determinada época do ano (águas baixas) ocorre formação de bancos de areia, alternando o canal preferencial de navegação. 

Comboio-tipo: 1 Empurrador + 4 Barcaças (200 X 16 X 2,5) m

INTERFERÊNCIAS E MULTIMODALIDADE

Corredor de Transporte abrangendo a Hidrovia:

Principais entroncamentos intermodais: Pontos quilométricos (PK´s)
1. Porto Velho (RO) BR-319 - Manaus - Porto Velho PK: 1.060 
BR-364 - Cuiabá - Porto Velho PK: 1060 
2. Humaitá (AM) BR-230 - Transamazônica PK: 880 

Cidades ribeirinhas: Pontos quilométricos (PK´s)
1. Humaitá PK: 880 
2. Calama PK: 
3. Manicoré PK: 450 
4. Novo Aripuanã PK 
5. Nova Olinda do Norte PK 
6. Borba PK

Portos e Terminais: Pontos quilométricos (PK´s)
1. Petrobrás BR PK 1.080 
2. Fogás PK 1.060 
3. Amazongás PK 1.060

Travessia no Rio Madeira: Pontos quilométricos (PK´s)
1. Porto Velho PK 1.060

Município: Porto Velho (RO)
Travessia em balsa para acesso a Rodovia BR-319 com destino a Humaitá

Outras obras (pontes, eclusas, etc): Pontos quilométricos (PK´s)

 

CLIQUE AQUI E ACESSE A MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS - 1998/1999/2000

 

Hidrovia do Solimões

CARACTERÍSTICAS FÍSICAS

Extensão navegável: 1.630 km

Largura média: 1.210 m

Declividade média:

REGIME HIDROLÓGICO

Período de águas baixas: Julho/Outubro

Período de águas altas: Fevereiro/Julho

Gabarito proposto pelo PNVNI / 89 : I

NAVEGABILIDADE

Sistema de sinalização/balizamento: Farolete Manacapuru NRORD 469, Farolete Barro Alto NRORD 470.

Restrições à navegação: Não existe nenhuma restrição; navios mercantes navegam pelo rio até a cidade de Iquitos (Peru), com a obrigatoriedade de serem conduzidos por um prático a bordo.

Comboio-tipo:

INTERFERÊNCIAS E MULTIMODALIDADE

Corredor de Transporte abrangendo a Hidrovia:

Principais entroncamentos intermodais: Pontos quilométricos (PK´s)

Cidades ribeirinhas: Pontos quilométricos (PK´s) 
1. Tabatinga PK 
2. Tefé PK 
3. Coari PK 
4. Manacapuru PK

Portos e Terminais: Pontos quilométricos (PK´s) 
1. Terminal Tersol PK 
2. Porto de Tabatinga PK 
3. Porto de Coari PK

Travessias: Não possui

CLIQUE AQUI E ACESSE A MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS - 1998/1999/2000

 

Porto de Porto Velho

HISTÓRICO

O porto foi construído em diversas etapas, com início das obras em 1973, atingindo sua atual conformação em 1988. Desde 1997 é administrado pela Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia-SOPH, por delegação da União ao estado de Rondônia.

LOCALIZAÇÃO / ACESSOS / ÁREA DE INFLUÊNCIA:

Está localizado na margem direita do rio Madeira, a 2km a jusante da cidade de Porto Velho (RO) e a cerca de 80km a montante da foz do rio Jamari.

ACESSO RODOVIÁRIO - Pelas rodovias BR-319 (Manaus - Porto Velho), BR-364 (Cuiabá - Porto Velho) e BR-425 (Porto Velho - Guajará-Mirim)

ACESSO FLUVIAL - Pelo rio Madeira

A área de influência compreende o estado de Rondônia, o sul do Estado do Amazonas e o leste do Estado do Acre.

INSTALAÇÕES / EQUIPAMENTOS

Compreende três terminais: um para operações ro-ro, com duas rampas que se estendem a um pátio de estacionamento com 10.000m2, e a outro pátio, também descoberto, não pavimentado, com área idêntica. Um segundo terminal denominado Pátio das Gruas é desprovido de cais de atracação, com movimentação direta para uma área de 10.000m2 , e um terceiro terminal que opera carga geral, dotado de um flutuante de acostagem de 115m, com 5 berços, ligado à margem por uma ponte metálica de 113,5m de vão. As profundidades nesses terminais variam de 2,5m e 17,5m.

O porto possui um armazém para carga geral com 900m2.

Parte do porto está arrendada para a HERMASA, que construiu quatro silos verticais para movimentação de soja com o uso de esteiras transportadoras e um carregador de embarcações para o escoamento de grãos no cais flutuante,no terceiro terminal.

O porto é equipado por 3 gruas de 3t, 1 guindaste de pórtico de 6t, 1 autoguindaste de 18t, 2 em-pilhadeiras de 7t, 1 pá carregadeira, 1 skider, 2 charriots, 2 utilitários e 1 caminhão.

ENDEREÇO: 
SOCIEDADE DE PORTOS E HIDROVIAS DO ESTADO DE RONDÔNIA (SOPH) 
Rua Terminal dos Milagres, 400 - Bairro da Balsa 
CEP 78900-750 - Porto Velho (RO) 
Tel.: (69) 229-3904 
Telefax: (69) 229-3943

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página